segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Do Costa Concórdia, o filho pródigo

O retorno do filho pródigo, de Murillo

Antes de o filho pródigo ter voltado ao pai, ficou teso e andou a chafurdar com os porcos. mas caso o filho pródigo António Costa chegue ao governo, poderemos estar descansado: não ficara teso.

Ficaremos nós.


Adenda: aconselho a leitura dos seguintes artigos, para ver no que nos metemos se ele chegar ao poleiro:

É bom aprendermos com os erros dos outros e péssimo quando damos aos outros oportunidade de aprender com os nossos erros.