quarta-feira, 27 de abril de 2016

À atenção de Nicolás Maduro

Devia escrever isto em espanhol, mas o meu primeiro dever é para aqueles que me leem em português.  Terei de estar confiado na existência de lusodescendentes em Caracas que possam traduzir isto ou, mais provavelmente, na grande probabilidade de isto nunca ser lido em Caracas.

Se o Maduro quer acabar com a crise energética, proponho que passe a debitar os seus infindáveis discursos para um tubo que se ligue ao carburador de um motor de combustão interna.  Com tanto metano nos flatos verbais que debita, deve iluminar toda a Venezuela e ainda poder exportar energia para o Brasil.

Agora a sério: vendo o que sucede na Venezuela, onde até o petróleo falta, como podem os venezuelanos cá do sítio (PCP, BE e a metade mais fedibunda do PS) falar-nos de injustiça social?  Não veem eles que os cheiramos à distância?

 
E agora restam três


Dão-se alvíssaras se conseguir alguém encontrar um país comunista onde exista por mais de quatro anos liberdade e abundância --- ou mesmo uma delas.