quarta-feira, 20 de abril de 2016

Há coisas que, sinceramente, acho uma completa perda de tempo

Paul Daniels. Ao menos este era um mágico a sério.

Porque é que se discute as medidas do Plano Nacional de Reformas, também chamado PEC 5, se estas medidas não são coisas para cumprir? Há alguém neste país, dotado de mais neurónios que um burro, uma lesma, uma amiba ou mesmo até da Esganiçada-Mor, que acredite que quando o PS orçamenta está a fazer algo mais que um misto de frete e de propaganda?

Enquanto decidimos se o Cartão de Cidadão deve também ser de Cidadã, Alimária e Couve-Roxa (os últimos cedências ao Partido das Bestas e à contra-reação vegetariana da calhauzada), o mago faz desaparecer o dinheiro à vista de todos. Ao menos um mago de circo, um honesto mágico, teria uma assistente jeitosa, para mover as mãos e as pernas nuas, afastando a vista dos dedos do artista enquanto este procede às suas prestidigitações. O artista Costa, o que temos, apenas nos tem dado a senhora cuja será um dia o maior argumento para a obrigatoriedade da burka.

Vejamos:

  • O Bloco diz apoiar as mulheres. Mas apoia o Islão, que as oprime como ninguém. Com feministas assim os barbudos agradecem.
  • Detesta os cristãos e os judeus, que não matam ninguém pela imposição do seu credo. Mas compreende, apoia e aceita o muçulmano que nos acha impuros a todos e que nos quer converter à força ou a perder a cabeça ao recusá-lo.
  • Diz defender os pobres, mas dá a impressão que os pobres do BE ganham em excesso de EUR 3000 mensais e fingem trabalhar na disfunção pública, de onde nenhum incompetente, imbecil ou incapaz foi alguma vez despedido. Os outros, que ganham o ordenado mínimo são, com certeza, escumalha, e têm de pagar com os seus impostos os pobres que o BE defende.
Da próxima vez que as mal-educadas e (obrigado, Pedro Arroja!) esganiçadas falarem em hipocrisia, sugiro que naquelas caras de beleza pouco duvidosa porque inexistente se reutilizem os vegetais podres de Portugal que, de outra forma, iriam parar aos aterros sanitários.

Sobre a palavra do PS

"O governo está disponível para aliviar esta tributação se o petróleo subir", disse Mário Centeno, ministro das Finanças, durante a conferência de imprensa de apresentação da proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2016 que foi entregue esta sexta-feira, 5 de Fevereiro, no Parlamento.

O petróleo subiu de 27 para 42 dólares entretanto. O ISP não desceu e o Governo nem quer ouvir falar dessa hipótese (não está disponível, portanto).